Buscar

Trabeculectomia



A trabeculectomia é uma cirurgia realizada no tratamento do glaucoma, consistindo na realização de uma fístula da câmara anterior para debaixo da conjuntiva através da esclera-malha trabecular, possibilitando a drenagem do humor aquoso. Esta operação permite, assim, o controle da pressão intraocular. Ou seja, através da drenagem do humor aquoso permitimos a estabilização da pressão intraocular, evitando, desta forma, a progressão da doença. Veja aqui mais informação sobre o que é o humor aquoso e de que forma este está relacionado com o glaucoma. Trabeculectomia no glaucoma O glaucoma é uma doença grave que pode em último caso conduzir à perda de visão. Esta é consequência da destruição das células ganglionares (nervo óptico). Esta destruição é devida ao efeito da pressão intraocular aumentada para determinado olho. O tratamento do glaucoma tem como objetivo reduzir ou estabilizar a pressão intraocular. Os procedimentos cirúrgicos no glaucoma (cirurgia glaucoma) visam diminuir a produção do humor aquoso e/ou aumentar o fluxo de drenagem do mesmo, onde se inclui a trabeculectomia. A cirurgia de glaucoma - trabeculectomia é, normalmente, realizada no glaucoma crónico simples quando o tratamento médico falha. Para saber o que é, as causas, os tipos e o tratamento do glaucoma siga este link. Saiba, de seguida, em que condições é realizada a cirurgia. Cirurgia de trabeculectomia A trabeculectomia é uma cirurgia para glaucoma que é efetuada, habitualmente, sob anestesia local. Muitas vezes, esta cirurgia também é conhecida como “trabeculectomia laser”, pois é utilizado um laser para criar a fistula e conceber um trajeto da câmara anterior até à conjuntiva de modo a drenar o humor aquoso. Trabeculectomia ab externo A trabeculectomia ab externo é a cirurgia de glaucoma realizada através da conjuntiva, efetuando um retalho escleral, exerese da malha trabecular até chegar à câmara anterior. Mitomicina na trabeculectomia Na trabeculectomia é utilizado um fármaco (mitomicina), de modo a reduzir a inflamação local, impedindo que o retalho escleral adira à esclera, aumentando, assim, a eficácia e a funcionalidade. Ou seja, a mitomicina tem como função coadjuvar no tratamento, tornando a trabeculectomia mais eficaz. Complicações na trabeculectomia Na cirurgia de glaucoma trabeculectomia como em qualquer outra cirurgia ocular, existem riscos e complicações durante ou no pós operatório que devem ser considerados. Uma das complicações possíveis é a hemorragia orbitária se for realizada anestesia retrobulbar ou hemorragia conjuntival na anestesia conjuntival. Outra possível complicação é a rutura do retalho conjuntival ou do escleral. Outros riscos e complicações são também possíveis, onde se destaca a hemorragia ao realizar a trabeculectomia ou a iridectomia, sidel pela sutura conjuntival, atalamia ou ausência de câmara anterior pós cirurgia, hemorragia da coróide, endoftalmite, catarata secundária, entre outras menos frequentes. Cirurgia de glaucoma Não obstante a taxa de sucesso da cirurgia trabeculectomia no tratamento do glaucoma ser alta, por vezes, um único procedimento não é capaz, por si só, de evitar a progressão da doença. Assim, outra cirurgia e/ou tratamento médico adicional pode ser necessário. No glaucoma, para além do tratamento a laser existem outros tipos de procedimentos (médicos ou cirúrgicos) que devem ser equacionados pelo médico oftalmologista.


Autor: Prof. Doutor Manuel Monteiro, médico oftalmologista (número da ordem dos médicos: 26903).