Buscar

Consultas Oftalmológicas

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o médico oftalmologista não faz somente a receita de óculos e a manutenção do grau necessário nas lentes. A oftalmologia é uma especialidade médica responsável por cuidar da saúde dos olhos, pálpebras e cílios, detectando e tratando os mais diversos tipos de patologias que acometem a visão.


O grande objetivo de visitar este especialista é, portanto, prevenir doenças, principalmente as que causam a perda progressiva da visão e que podem, muitas vezes, levar o paciente à cegueira.


Outras enfermidades que acometem os olhos e que também podem ser prevenidas e tratadas por esse profissional incluem infecções, inflamações e alergias, as quais provocam sintomas que atrapalham muito a rotina.

Crianças

O acompanhamento pré-natal é capaz de evitar o comprometimento da visão do bebê que irá nascer. Algumas doenças, como a rubéola e a toxoplasmose, podem causar cegueira e problemas neurológicos na criança.

A oftalmia neonatal é uma conjuntivite que afeta crianças menores de 28 dias de nascimento. Ela é causada pela infecção durante o parto, em virtude do contato da criança com as secreções genitais da mãe, combinada com a falta de cuidados no momento do nascimento. Para evitar a contaminação, ainda na sala de parto, profissionais de saúde aplicam gotas de nitrato nos olhos da criança.

O bebê, em seus primeiros dias de vida, também pode apresentar olhos muito vermelhos e lacrimejantes, causados pela obstrução do canal lacrimal (dacriocistite). Se isso ocorrer, ele deve ser examinado por um oftalmologista, que poderá indicar o tratamento correto. Também deve ser levado com urgência ao médico oftalmologista o bebê que, ao nascer, tiver mancha branca na menina dos olhos, olhos anormalmente grandes, ou ainda que não suportem claridade.

Adolescentes

Durante a adolescência e a puberdade, com frequência são diagnosticados problemas refrativos (miopia, astigmatismo e hipermetropia). Nessa fase, é comum a busca de correção por meio do uso de lentes de contato ou de cirurgia refrativa, como alternativa ao uso de óculos.

Pessoas entre os 13 e 20 anos também estão sujeitas ao aparecimento do ceratocone, uma doença que provoca irregularidade da córnea. Na puberdade, o ceratocone pode às vezes estar acompanhado pelo hábito de coçar excessivamente os olhos e por vezes não é percebido, pois muitos adolescentes não dão atenção ao aumento da sensibilidade à luz e à baixa da qualidade de visão, mesmo com o uso de óculos ou lentes de contato.

Não há cura para o ceratocone, mas os tratamentos disponíveis podem melhorar a visão, estabilizando o problema e reduzindo a deformidade da córnea. Quanto mais cedo o diagnóstico for feito, melhor é o resultado do tratamento. Por isso, adolescentes devem ser submetidos a consultas oftalmológicas, mesmo que não apresentem queixas.

Idosos

O envelhecimento acarreta mudanças no organismo do indivíduo e, consequentemente, o aparecimento de algumas doenças. Entre as alterações relacionadas à idade estão as dos cinco sentidos: visão, audição, olfato, paladar e tato. Pode haver também perda da comunicação e desajuste psicossocial devido a situações específicas vivenciadas pelo idoso, como: aposentadoria, viuvez, perda de amigos, alterações na composição e na dinâmica familiar, mudança de residência e dificuldades funcionais.

O envelhecimento poderá ser tranquilo ou não, de acordo com a capacidade funcional que a pessoa conseguir manter ao chegar à terceira idade. Por isso, atitudes preventivas, como alimentação e atividades físicas, entre outras, são importantes.

As doenças mais letais são as cardiovasculares, entre elas a hipertensão e o diabetes, que podem evoluir para a insuficiência cardíaca. Segundo dados de 1997 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as doenças do aparelho circulatório são responsáveis por 39,4% dos óbitos masculinos e 36,3% dos femininos entre os idosos. Outro problema frequente é a depressão. De 25% a 33% da população idosa mundial apresenta a doença. A depressão pode tornar o idoso dependente de outras pessoas e incapacitá-lo para a realização de suas atividades diárias.

Outras doenças comuns nos idosos: derrame (acidente vascular cerebral), pneumonia, câncer, enfisema e bronquite crônica, infecção urinária, osteoporose, diabetes, osteartrose, Mal de Parkinson e Alzheimer.

Doenças oculares mais comuns nos idosos: A visão pode ser afetada em diferentes aspectos como percepção de cores, campo visual, visão noturna, visão de perto, de longe e as principais etiologias são catarata, glaucoma e degeneração macular relacionada à idade (DMRI).


Fonte CBO