Campimetria Computadorizada

O objetivo básico da campimetria é avaliar a presença ou ausência de defeitos no campo visual. Estes defeitos surgem em doenças oculares que afetam a mácula, a retina e ou nervo óptico, ou em lesões cerebrais que afetam as vias ópticas e ou o córtex occipital. É indicado nos casos de Endocrinopatias, Maculopatias, Nueropatias e é essencial no diagnóstico e acompanhamento de pacientes com Glaucoma (diagnóstico precoce e acompanhamento da doença). As primeiras vantagens da campimetria computadorizada são: monitorização constante de fixação; capacidade de reteste automático de pontos anormais.
No nosso serviço contamos com campímetros com múltiplas estratégias de teste, de acordo com a necessidade do examinador: estratégias convencionais, chamadas full threshold e as mais atuais como SITA e Blue Yellow.

Definições e Indicações:

– Avaliar o campo visual devido a alterações da retina e ou do nervo óptico, quiasma trato óptico e áreas do S. N. C.. Possíveis alterações poderão ser demonstradas e quantificadas pelo exame de campimetria como uma alteração do campo visual, seja de restrição de alguma porção do campo visual, ou uma perda da sensibilidade do nervo óptico.

– Há indicação de campimetria em casos de doenças do nervo óptico, ou doenças neuroftalmológicas (neurite em atividade ou seqüela, compressão do nervo óptico por tumores como adenoma de hipófise, infiltração tumoral ou tumores do nervo óptico, edema de papila, hipertensão intra-craniana, doenças degenerativas de nervo óptico, distrofias e degeneração de retina, doenças desmielinizantes).

– A indicação mais freqüente é para avaliação do dano do nervo óptico pelo glaucoma. Quando empregado seriadamente, o campo visual é fidedigno para comparar a evolução e avaliar o controle clínico do glaucoma.

%d blogueiros gostam disto: