Doenças que podem ser identificadas pelos olhos

 

iiiiiiiiiiiii

Os olhos espelham o que acontece dentro de nós, não só no que diz respeito às emoções, mas também em nossa fisiologia, traduzindo o equilíbrio ou o desequilíbrio do nosso organismo. Através das queixas do paciente e do exame oftalmológico minucioso, o médico consegue identificar sinais e sintomas que levam ao diagnóstico de doenças sistêmicas.

Muitas vezes as queixas oculares são as primeiras dentro do contexto de uma síndrome clínica. O olhar atento e os conhecimentos científicos direcionam o médico para o diagnóstico e tratamento precoces, diminuindo as possíveis sequelas.

Veja a seguir as principais doenças encontradas no consultório:

1 – Diabetes

Visão embaçada quando associada a outros sintomas, como aumento da sede e da fome nos faz pensar no diagnóstico de diabetes. Quando o paciente mantém níveis altos de glicose no sangue, esse desequilíbrio pode machucar a parede dos vasos do fundo do olho, e no exame da retina encontramos áreas de sangramento, isquemia e edema. Esse quadro pode ser prevenido com o controle da glicemia.

2 – Hipertensão Arterial

A visão embaçada, associada a dores na nuca e tontura, ocorrem quando a pressão arterial atinge níveis muito altos. Nos olhos isto se reflete por veias mais tortuosas e artérias com brilho aumentado, além de sangramentos intrarretinianos. Em casos graves, pode correr acúmulo de líquido na região da visão central, que chamamos de estrela macular, ou até no nervo óptico, que chamamos de edema de papila. A hemorragia subconjuntival, o famoso “derrame” no olho, em alguns casos pode ser devido a um pico de pressão. Os pacientes se assustam, mas não é um caso preocupante, por não causar consequências na qualidade visual.

3 – Doenças Reumatológicas

Olho vermelho, dor e visão embaçada unilateral são sintomas muito comuns nos quadros de inflamação na parte anterior do olho, o que chamamos de uveíte anterior. Os exames laboratoriais nos levam ao diagnóstico mais preciso de doenças reumatológicas, como espondilite anquilosante e artrite reumatóide. O paciente é encaminhado ao medico reumatologista para um tratamento mais específico.

4 – Esclerose Múltipla

É uma doença autoimune em que ocorre uma inflamação do sistema nervoso central. Esta inflamação pode alcançar o nervo óptico, e o paciente chega ao consultório com visão borrada, geralmente unilateral e ao exame encontramos edema de papila. O diagnostico é comprovado por exames de imagem do cérebro.

5 – Estenose de Carótida

As carótidas são dois grandes vasos que temos no pescoço. Elas levam o sangue arterial, rico em oxigênio, para o cérebro e todas as estruturas da nossa cabeça. Quando ocorre aterosclerose, que é o depósito de material anormal na parede dos vasos, isto diminui o fluxo de sangue e atinge os olhos, geralmente com padrão unilateral. O paciente pode apresentar queixas de perda transitória da visão (amaurose fugaz) e ao exame encontramos assimetria do padrão vascular entre os olhos, ou até oclusão dos vasos arteriais da retina.

6 – Miastenia Gravis

É uma doença autoimune que afeta os músculos. O paciente pode chegar ao consultório com sinais como pálpebra caída (ptose), visão dupla (diplopia) e diminuição da expressão facial.

7 – Rosácea

É uma doença da pele em que vasos novos crescem e fazem aumentar a oleosidade o rosto. Esta oleosidade atinge a raiz dos cílios, causando um quadro de blefarite recorrente.

8 – Síndrome de Jogren

É uma condição autoimune em que ocorre a destruição das glândulas lacrimais, podendo estar associada a doenças como o Lúpus Eritematoso Sistêmico ou a Artrite Reumatóide. O paciente apresenta dificuldade de lubrificação ocular com sintomas de ardência, sensação de areia nos olhos e vermelhidão.

9 – Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS)

O vírus HIV pode enfraquecer o sistema imune e, quando isto acontece, favorece o desenvolvimento de infecções oportunistas. Algumas delas são muito características do paciente imunodeprimido, como por exemplo, a inflamação de retina por citomegalovírus. Exames laboratoriais específicos são solicitados para fechar o diagnóstico.

10 – Tumor Cerebral

O tumor é um crescimento desordenado de um tecido. Dependendo da sua localização, pode causar a compressão de estruturas nobres, como por exemplo, os adenomas de hipófise que comprimem o quiasma óptico. Nestes casos, os pacientes chegam com queixa de perda de campo visual.

11 – Aneurisma Cerebral

O aneurisma acontece quando a parede do vaso está enfraquecida, e com isto temos uma protuberância localizada. Este alargamento do vaso comprime as estruturas vizinhas, e pode atingir nervos oculares. O nervo mais frequentemente atingido é o oculomotor. Devido ao seu trajeto longo, os achados clínicos são a ptose, olho deslocado para lateral e para baixo e a dilatação da pupila unilateral, dentre outros sintomas.

 

– Portal dos Olhos

%d blogueiros gostam disto: